Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1213
Título: Motivação para o Aleitamento Materno: Variáveis Intervenientes
Autor: Ferreira, Manuela
Nelas, Paula
Duarte, João
Palavras-chave: Aleitamento materno
Motivação
Traços de personalidade
Data: Jun-2011
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Citação: Ferreira, M., Nelas, P., Duarte, J. (2011). Motivação para o Aleitamento Materno: Variáveis Intervenientes. Millenium, 40: 23‐38
Relatório da Série N.º: 40;
Resumo: Enquadramento: A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza o aleitamento Materno (AM) exclusivo até aos 6 meses e, a partir desta idade, a introdução oportuna de alimentos complementares adequados e seguros em termos nutricionais, enquanto se continua a amamentar durante um período de dois anos ou mais que, no puerpério, o estado emocional da mãe e outras condições psicológicas, incluindo a própria personalidade pode levá- la a desistir do aleitamento materno, e/ou a sentir-se pouco motivada para amamentar. Objectivos: Assim, o objectivo do nosso estudo é analisar a relação entre os traços de personalidade e a motivação para o AM nas puérperas Metodo: O estudo realizado é de natureza quantitativa, não experimental, transversal e descritivo. Foi aplicado um questionário a 144 puérperas, no dia da alta médica (após 48horas), constituído pela caracterização sócio – demográfica e obstétrica, e por duas escalas, a Escala de Motivação para Amamentação (EMA) de Nelas, Ferreira & Duarte. (2008), para avaliar a motivação para a amamentar e a Escala de Avaliação de Sintomas (SCL-90) de Degoratis (1977), para avaliar os traços de personalidade materna. Resultados: Os resultados sugerem que são as mulheres mais velhas (70,8%), com maior grau de escolaridade (50%) e que já tiveram experiências anteriores agradáveis (61,8%), que se encontram mais motivadas para o aleitamento materno (AM). Relativamente à nossa variável independente, a hostilidade é o traço de personalidade materna que possui maior valor preditor na dimensão cognitiva (p=0,063), psicossocial (p=0,184) e motivação total (p=0,088); na dimensão fisiológica é a somatização (p=0,115). Conclusão: Este estudo sugere-nos que o traço de personalidade que influencia a motivação para o AM foi a hostilidade com valores preditores superiores.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1213
Aparece nas colecções:RE - Número 40 - Junho de 2011

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Motivação para o Aleitamento Materno.pdf170,08 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.