Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1341
Título: Avaliação físico-química e sensorial da pêra passa de Viseu secada por diferentes metodologias.
Autor: Correia, Ana Cristina
Cunha, Pedro
Carrilha, Fátima
Loureiro, Andreia
Guiné, Raquel
Rocha, Sílvia
Coimbra, Manuel
Palavras-chave: Análise sensorial
pera
Data: 2010
Citação: Correia AC, Cunha P, Carrilha F, Loureiro A, Guiné R; Rocha SM, Coimbra MA. (2010) Avaliação físico-química e sensorial da pêra passa de Viseu secada por diferentes metodologias. Livro de Resumos e CD-Rom das Actas do 1º Encontro Português de Secagem de Alimentos, 6 pag., Viseu.
Resumo: A pêra de S. Bartolomeu (Pyrus communis L.) é um produto tradicional da região de Viseu comercialmente designada de “Pêra Passa de Viseu” e que, presentemente, é secado ao ar livre. De modo a substituir esse processo de secagem artesanal sem alterar as características típicas do produto ao nível organoléptico, foram testadas metodologias alternativas, designadamente, estufa solar de convecção forçada, realizada na Escola Superior Agrária de Viseu (ESAV); estufa solar de convecção natural, na Escola Superior de Tecnologia de Viseu (ESTV) e secador em túnel, na Universidade de Coimbra (UC). Os produtos secados pelas várias metodologias foram analisados ao nível físico-químico e sensorial nos seguintes parâmetros: cor, textura (dureza e elasticidade), acidez e açúcares totais. Os resultados obtidos foram submetidos a uma análise estatística multivariada em componentes principais (SPSS, versão 18), tendo as 2 componentes principais explicado 73% da variação total. O eixo 1 é descrito essencialmente pela variável da cor e o eixo 2 pela dureza. Na projecção das metodologias no plano definido pelas duas componentes principais verificou-se que o produto secado em túnel apresentava características diferentes das restantes metodologias de secagem, principalmente por apresentar uma cor mais amarelada e não o vermelho-castanho tradicional da pêra passa de Viseu. No que respeita à dureza, as peras secadas pela estufa solar de convecção natural apresentavam uma dureza menor. Este trabalho permitiu concluir que é possível substituir a secagem tradicional da pêra passa de Viseu por outras metodologias. A estufa solar de convecção forçada foi a que apresentou melhores resultados.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1341
Aparece nas colecções:ESAV - DIA - Documentos de congressos (comunicações, posters, actas)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2010_Viseu_Acta_Poster Cristina.pdf108,56 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.