Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1524
Título: Práticas obstétricas segundo a OMS: expectativas, percepção e satisfação da mulher
Autor: Fernández Arias, Betty
Palavras-chave: Directrizes para a prática clínica
Enfermagem materno-infantil
Enfermagem obstétrica
Mulher grávida
Obstetrícia
Organização Mundial de Saúde
Parto
Satisfação do doente
Trabalho de parto
Labor, obstetric
Maternal-child nursing
Obstetrical nursing
Obstetrics
Parturition
Patient satisfaction
Practice guidelines
Pregnant women
World Health Organization
Data de Defesa: 2011
Editora: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Resumo: Enquadramento: A forma como a mulher percepciona as práticas obstétricas varia em função de um amplo e diverso conjunto de factores individuais, socioculturais e situacionais. Conhecer o que a mulher considera importante dos cuidados de saúde, o que espera, o que encontra e o que sente, permite-nos adequar a assistência proporcionada às necessidades da mulher, melhorando o nível de satisfação e a qualidade dos cuidados prestados. Objectivos: Avaliar a percepção, as expectativas e satisfação da mulher relativamente às práticas obstétricas durante o Trabalho de parto (TP), parto e pós-parto (PP). Determinar a influência de factores sócio-demográficos e obstétricos nessa percepção. Analisar a relação entre a percepção e a importância dos cuidados recebidos, a nível de “cuidados prestados”, “actuação perante a dor”, “apoio sócio-familiar”, “atenção ao bem-estar” e “atenção ao PP/alta”. Determinar se as expectativas e satisfação da mulher relativamente às práticas obstétricas durante o TP, parto e PP influenciam a sua percepção. Métodos: Trata-se de estudo quantitativo, descritivo, analítico-correlacional, de corte transversal. A amostra é constituída por 405 mulheres internadas nos serviços de Obstetrícia / Puerpério de hospitais da região Centro. A colheita de dados foi realizada através de um questionário que numa primeira parte possibilitou fazer caracterização sócio-demográfica e obstétrica e incluímos a escala de Importância e Percepção das Práticas Obstétricas e o Questionário de Experiência e Satisfação com o Parto. Resultados: A importância manifestada pela mulher perante as práticas obstétricas influencia altamente o modo esta as percepciona, sendo que a importância manifestada é maior que a sua percepção. A satisfação que as mulheres apresentam durante o TP e parto é superior às suas expectativas e à medida que o internamento decorre, as expectativas e a satisfação da mulher vão melhorando. Contudo, a expectativa da mulher durante o TP, parto e PP não se mostrou preditora da percepção, ao contrário da satisfação que se revelou preditora. Também, um elevado número (58,40%) de intervenções de rotina são realizadas e apenas 66,39% das mulheres são esclarecidas sobre estas intervenções. O estado civil, a gravidez desejada, a preparação para o parto e a paridade são factores que não influenciam a percepção da mulher. Pelo contrário, a idade é preditora da percepção, sendo as mulheres mais velhas as que apresentam uma maior percepção relativamente aos cuidados prestados. Também, as mulheres com actividade laboral, com menos habilitações literárias (1º ciclo) e que vivem só com o companheiro mostram uma melhor percepção na actuação perante a dor, na atenção ao PP/alta e na atenção ao bem-estar, respectivamente. Uma vigilância adequada da gravidez (≥6 consultas) relaciona-se com uma maior percepção no apoio sócio-familiar. As mulheres com parto eutócico, as que estiveram menos de seis horas em TP e as que não induziram o parto apresentam uma melhor percepção na atenção ao bem-estar. De igual forma, as mulheres que entraram em TP espontâneo e com parto eutócico apresentam uma maior percepção no apoio sócio-familiar, sendo que o parto normal também se relacionou com uma melhor percepção na atenção ao PP/alta. No entanto, são as mulheres com parto distócico as que manifestam uma melhor percepção na actuação perante a dor. As mulheres que tiveram oportunidade de caminhar referem uma melhor percepção nos “cuidados prestados”, na “actuação perante a dor” e no “apoio sócio-familiar”. Conclusão: Conhecer as expectativas, a satisfação e a percepção da mulher perante as práticas obstétricas, entendendo os factores que se associam a esta percepção, permite aos profissionais introduzir mudanças e desenvolver estratégias em procura da excelência no cuidar. Palavras-chave: Percepção, expectativas, satisfação, práticas obstétricas.
ANALYTICAL SUMMARY Background: How a woman perceives the obstetrical practices varies according to a broad and diverse set of individual factors, socio-cultural and situational. Knowing what the woman considers it important to health care, what you expect, what is and what she feels, allows us to tailor the assistance provided to women's needs, improving the level of satisfaction and quality of care. Objectives: To evaluate the perception, expectations and satisfaction in relation to women's obstetric practices during labor (TP), childbirth and postpartum (PP). To determine the influence of socio-demographic and obstetric this perception. To analyze the relationship between perception and importance of care received, the level of "care", "action before the pain," "family and social support", "attention to the welfare" and "attention to the PP / high." Determine whether the expectations and satisfaction in relation to women's obstetric practices during the TP and PP delivery influence their perception. Methods: It is quantitative, descriptive, analytical and correlational cross-sectional. The sample consisted of 405 women hospitalized in the obstetric services / Postpartum Center of hospitals in the region. Data collection was conducted through a questionnaire that allowed a first part to socio-demographic and obstetric and include the scale of importance and perception of Obstetric Practice and Experience Questionnaire and Satisfaction with childbirth. Results: The importance expressed by the woman in the face of obstetric practices strongly influence the way she perceives this, and expressed the importance is greater than its perception. The satisfaction that women have during the TP and birth beyond their expectations and as the relocation takes place, expectations and satisfaction of women is going to improve. However, the expectation of women during the TP and PP delivery was not a predictor of perception, unlike the satisfaction that proved predictive. Also, a high number (58.40%) of routine interventions are performed and only 66.39% of women are informed about these interventions. Marital status, desired pregnancy, preparation for birth and parity are factors that do not influence the perception of women. Rather, age is a predictor of perception, being the older women who have a greater awareness on the care provided. Also, women with work activity, with fewer qualifications (first degree) and who live only with fellow show a better perception on performance for the pain, attention to the PP / high care and welfare, respectively. Adequate monitoring of pregnancy (≥ 6 queries) is related to an increased awareness in family and social support. Women with normal delivery, those that were less than six hours in labor and delivery that did not induce a better insight in the present attention to the well-being. Similarly, women who went into spontaneous TP and normal delivery have an increased awareness in the family and social support, and vaginal delivery was also associated with a better understanding of attention to the PP / high. However, women with dystocia those that show a better perception on performance for the pain. Women who had the opportunity to walk in relate a better understanding "care" in the "performance for the pain" and "family and social support." Conclusion: Know the expectations, satisfaction and perception of women before the obstetrical practices, understanding the factors that are associated with this perception, allows professionals to make changes and develop strategies in pursuit of excellence in care. Keywords: Perceptions, expectations, satisfaction, obstetrical practices.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1524
Aparece nas colecções:ESSV - UEMOG - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
FERNANDEZ ARIAS Betty, Páginas preliminares.pdf332,28 kBAdobe PDFVer/Abrir
FERNANDEZ ARIAS Betty, Corpo do trabalho.pdf1,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.