Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1561
Título: Paternidade e auto-conceito: influência do envolvimento na gravidez, trabalho de parto e parto no estabelecimento do bonding pai-filho
Autor: Rodrigues, Verónica Raquel Oliveira
Palavras-chave: Apego a objectos
Auto-conceito
Gravidez
Pai
Parto
Psicologia
Relação pai-criança
Trabalho de parto
Bonding
Father-child relations
Fathers
Labor, obstetric
Object attachment
Parturition
Pregnancy
Psychology
Self concept
Data de Defesa: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Resumo: Enquadramento: O bonding, o laço emocional que é estabelecido entre a figura de vinculação e o bebé, tem sido fundamentalmente estudado entre a mãe e o filho. Existem ainda poucos estudos relacionados com o pai, mas sabe-se que as características deste, do bebé e do parto influenciam o envolvimento emocional paterno. Este estudo pretende contribuir para melhorar a compreensão desses factores, procurando esclarecer especificamente a importância do auto-conceito paterno no estabelecimento do bonding. Objectivos: O nosso objectivo é estudar o bonding entre o pai e o bebé. Mais especificamente, pretendemos analisar quais factores (sócio-demográficos, obstétricos, envolvimento paterno na gravidez, trabalho de parto e parto, e auto-conceito), de forma diferenciada, afectam o estabelecimento do laço afectivo entre a díade pai-filho. Métodos: Recrutámos 349 progenitores masculinos, com idades compreendidas entre os 19 e os 55 anos (DP=0,33). Para além de um questionário que pesquisava as características sócio-demográficas, obstétricas e do envolvimento do pai, foi administrado igualmente duas escalas, o Inventário Clínico do Auto-Conceito (VAZ SERRA, 1986b) e a Escala Bonding (FIGUEIREDO et al., 2005a), até às 48 horas após o parto. Resultados: Os pais mais novos (p=0,010), com menor grau de escolaridade (p=0,045), que estão a ter o seu primeiro filho (p=0,027), que presenciaram a primeira ecografia (p=0,005) e falaram com o bebé durante a gravidez (p=0,005), apresentam mais bonding positivo. A dimensão impulsividade-actividade e o valor total, do Inventário Clínico do Auto-Conceito, são preditores do bonding total (p=0,000). Conclusão: Verificamos que o bonding paterno é influenciado por variáveis sócio-demográficas, obstétricas, e psicológicas (auto-conceito paterno). Assim, a parentalidade deve ser valorizada pelos enfermeiros, de forma a conhecer e maximizar o envolvimento emocional do pai com o bebé, para que o processo de ajustamento do pai no pós-parto decorra normalmente. Palavras-chave: bonding, auto-conceito paterno, bebé, pai, parto.
ABSTRACT Background: Bonding, the emotional tie between the attachment figure and the child, has been essentially studied between mother and son. There are a few studies related to father, but it’s known that father, infant and labor characteristics influence father emotional involvement. This study intends to implement our knowledge about these factors, essentially assess the importance of father self-concept in bonding toward the child. Objectives: This study aims to assess father bonding toward the infant. Specifically, we intend to analyze which factors (socio-demographic, obstetric, parental involvement in pregnancy, labor and partum, and self-concept), in different ways, influence the emotional involvement of this dyad. Method: We recruited 349 fathers, between 19 and 55 years (SD=0,33). Besides a questionnaire that surveyed socio-demographic, obstetric and father involvement characteristics, we also administered two scales, Self-Concept Clinical Inventory (VAZ SERRA, 1986b) and the Bonding Scale (FIGUEIREDO et al., 2005a), until 48 hours after the birth of their child. Results: The results suggest that younger fathers (p=0,010), with less education (p=0,045), which are having their first child (p=0,027), which were present the first ultrasound (p=0,005) and spoke with his child during pregnancy (p=0,005) shows more positive bonding. The impulsivity-activity dimension and total self-concept, in Self-Concept Clinical Inventory, predict total bonding (p=0,000). Conclusions: We conclude that father bonding is influenced by socio-demographic, obstetric and psychological variables (father self-concept). Thus, parenting must be valued by nurses, in order to understand and maximize the father emotional involvement toward the infant, so that the father adjustment process in the postpartum period ordinarily occurs. Keywords: bonding, father self-concept, infant, father, birth.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1561
Aparece nas colecções:ESSV - UEMOG - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese Mestrado Verónica Rodrigues.pdfDocumento principal2,23 MBAdobe PDFVer/Abrir
Folha Rosto Verónica Rodrigues.pdfFolha de rosto2,74 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.