Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1778
Título: Efeito da secagem nos teores de compostos fenólicos e da atividade antioxidante de bananas Musa nana e Musa cavendishii
Autor: Guiné, Raquel
Barroca, Maria João
Palavras-chave: bananas
compostos fenólicos
capacidade antioxidante
processo de secagem
Data: 2013
Citação: Guiné RPF, Barroca MJ, Alves M, Oliveira S, Gonçalves F, Correia PMR. (2013) Efeito da secagem nos teores de compostos fenólicos e da atividade antioxidante de bananas Musa nana e Musa cavendishii. Proceedings of the VII Congreso Ibérico de Agroingeniería y Ciencias Hortícolas, Madrid, Espanha, Ref. C0152, 6pp.
Resumo: Bananas e plátanos são hoje cultivadas em todas as regiões tropicais húmidas e constituem o quarto fruto mais cultivado do mundo. A casca da fruta varia de verde profundo a amarelo ou vermelho, enquanto que a polpa varia de branco-marfim para amarelo ou salmão-amarelo. A polpa pode ser firme, adstringente e pegajosa, quando verde, tornando-se escorregadia quando madura. O sabor pode ser leve e doce ou sub-ácido com um tom de maçã. As bananas das cultivares Musa nana (MN) e Musa cavendishii (MC) foram submetidas a secagem para a comparação das suas propriedades com a correspondente fruta em fresco. Os processos de secagem usados foram a secagem em estufa convectiva e a liofilização. Todas as amostras, bananas em fresco e após secagem, foram trituradas e depois foram usadas 5 g de amostra. Subsequentemente, foram realizadas seis extrações sucessivas para cada amostra (três com metanol e três com uma solução de acetona (40% v/v) ), com duração de uma hora cada, feitas com o auxílio de um banho de ultrassons. Para cada extrato foi determinado o conteúdo fenólico por reagente Folin-Ciocalteu, e a capacidade antioxidante foi estimada utilizando os ensaios de ABTS. Os resultados permitiram concluir que os dois tipos de banana estudados apresentaram resultados semelhantes no que diz respeito aos compostos fenólicos totais presentes. Ainda mais, observou-se que a secagem em estufa, para as duas temperaturas testadas (50ºC e 70ºC) diminuiu o teor de fenóis totais (expressos em base seca) relativamente às bananas frescas. A liofilização aumentou o teor de compostos fenólicos das amostras quando comparado a secagem em estufa.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1778
Aparece nas colecções:ESAV - DIA - Documentos de congressos (comunicações, posters, actas)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2013_08_Madrid_Ata_Fenois banana C0152.pdf159,14 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.