Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1799
Título: Sobrecarga física, emocional e social dos cuidadores informais, familiares
Autor: Figueiredo, Carla Gonçalves
Chaves, Cláudia Margarida Correia Balula, orient.
Duarte, João Carvalho, co-orient.
Palavras-chave: Doença crónica
Efeitos psicossociais da doença
Emoções
Família
Prestadores de cuidados
Caregivers
Chronic disease
Cost of illness
Emotions
Family
Data de Defesa: 2012
Editora: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Resumo: Enquadramento: O assumir do papel de cuidador tem repercussões ao nível da vida como a sobrecarga, que interfere com o bem-estar do doente e cuidador. Objectivos: É propósito deste estudo compreender, identificar e relacionar factores que se associam com a sobrecarga física, emocional e social dos cuidadores informais/ familiares de pessoa dependente. Método: Estudo quantitativo, transversal e descritivo-correlacional, com uma amostra não probabilística por conveniência de 139 cuidadores informais/familiares de pessoa com doença crónica incapacitante e dependente, internados no Hospital de Vila Franca de Xira no período de 1 de Julho a 30 de Novembro de 2011. O protocolo de avaliação inclui o Questionário Socio-Demográfico e ao utente alvo de cuidados, o Índice de Katz, a Escala Instrumental e Expressiva de Suporte Social (Paixão & Oliveira, 1996) e a Escala de Zarit. Resultados: 25,2% dos participantes são do sexo masculino e 74,8% do sexo feminino com idades compreendidas entre 32 e os 90 anos de idades A maioria dos cuidadores é casado (81,3%), apresentam baixa literacia (74,1%) e encontram-se inativos (69,8%). São essencialmente cônjuges/ companheiros da pessoa dependente (48,9%) ou filhos (as) (33,8%), 30,9% não tem qualquer tipo de apoio no cuidar, dispensam em média 19,14 horas por dia a cuidar, sendo o seu agregado familiar constituído por apenas um elemento (66,4%) e a maioria (87,1%) coabita com a pessoa dependente. A amostra de pessoas dependentes é constituída por 55,4% de indivíduos do sexo masculino e 44,6% do sexo feminino, com uma média de idades de 74,21 anos. O tempo médio de dependência é de 2,77 anos e apresentam elevado grau de dependência. Existe influência do grau de parentesco, número de elementos do agregado familiar, o grau e tempo de dependência da pessoa alvo de cuidados; o número de horas despendidas no cuidar e o tipo de apoio sobre a sobrecarga do cuidador informal. Conclusão: É fundamental para a compreensão da sobrecarga conhecer os motivos que desencadeiam esta situação, quais as repercussões negativas no bem-estar do cuidador, capazes de por em causa a continuidade e a qualidade da assistência prestada ao doente. PALAVRAS-CHAVE Cuidador informal; Pessoa dependente; Sobrecarga; Escala de Zari.
ABSTRACT Background: The assumption of the role as a caregiver has an impact on life as a burden that interferes with the welfare of both the patient as well as the caregiver. Objectives: It is the purpose of this study to understand, identify and list factors that are associated with the physical, emotional and social strain on informal caregivers / family members of a dependent person. Method: A quantitative, descriptive and cross-correlation with a non-probability convenience sample of 139 informal caregivers / family members of dependent people with chronic disablities, admitted to the Hospital de Vila Franca de Xira during the period 1 July to 30 November 2011. The evaluation protocol includes a Socio-Demographic Questionnaire and to the target user in care, the Katz Index, Scale Instrumental and Expressive Social Support (Passion & Oliveira, 1996) and the Scale of Zarit. Results: 25.2% of participants were male and 74.8% were females aged between 32 and 90 years of age. Most caregivers are married (81.3%), have low literacy (74, 1%) and are professionally inactive (69.8%). They are mostly spouses / partners of the dependent person (48.9%) or children (33.8%), 30.9% do not have any care support, spend an average of 19.14 hours per day on caring, since the household consists of only one element (66.4%) and most (87.1%) coexist or cohabit with the dependent person. The sample consists of dependents 55.4% male and 44.6% female, with an average age of 74.21 years. The average time dependence is 2.77 years and patients proved to have a high degree of dependence. There is an influence of kinship, number of members of the household, the degree and time dependency of the person subject to care, the number of hours spent in care and type of support for the burden on the informal caregiver. Conclusion: It is essential for the understanding of the burden to know the reasons that trigger this situation, what the negative impact is on the welfare of the caregiver, which can jeopardize the continuity and quality of care provided to patients. KEYWORDS Informal caregiver; dependent person; Overload; Zarit Scale.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1799
Aparece nas colecções:ESSV - UESPFC - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
FIGUEIREDO Carla Gonçalves - Dissertação mestrado EMBARGO 29 junho 2014.pdf2,76 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.