Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/1971
Título: Vulnerabilidade ao stress do cuidador informal
Autor: Figueiredo, Carla Gonçalves
Chaves, Cláudia Margarida Correia Balula, orient.
Duarte, João Carvalho, co-orient.
Palavras-chave: Prestadores de cuidados
Stresse psicológico
Vulnerabilidade
Caregivers
Stress, psychological
Vulnerability
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Resumo: Enquadramento: Cuidar de um familiar dependente é uma tarefa difícil, que requer tempo e energia. É assim uma responsabilidade que pode ter um enorme desgaste emocional e físico, especialmente se adicionado à angústia de ver alguém querido a perder as suas capacidades. Objetivos: É propósito deste estudo analisar se vulnerabilidade ao stress do cuidador é influenciada pelas características do cuidador e/ou da pessoa alvo de cuidados. Método: Estudo de natureza quantitativa, transversal e descritivo-correlacional realizado numa amostra de 139 cuidadores informais de pessoa com doença crónica incapacitante e dependente; internados nos serviços de medicina Hospital de Vila Franca de Xira. A colheita de dados foi realizada no período de 1 de Julho a 30 de Novembro de 2011. O protocolo de avaliação inclui o Questionário Socio-Demográfico ao cuidador e ao utente alvo de cuidados, o Índice de Katz e a Escala de vulnerabilidade ao stress (Vaz Serra, 2000). Resultados: Dos participantes 25,2% são do sexo masculino e 74,8% do sexo feminino com idades compreendidas entre 32 e os 90 anos de idades. Dos cuidadores 81,3% são casados, apresentam baixa literacia (74,1%) e encontram-se inativos (69,8%). São essencialmente cônjuges/ companheiros da pessoa dependente (48,9%) ou filhos (as) (33,8%), 30,9% não tem qualquer tipo de apoio no cuidar, dispensam em média 19,14 horas por dia a cuidar, sendo o seu agregado familiar constituído por apenas um elemento (66,4%) e a maioria (87,1%) coabita com a pessoa dependente. A amostra de pessoas dependentes é constituída por 55,4% de indivíduos do sexo masculino e 44,6% do sexo feminino, com uma média de idades de 74,21 anos. O tempo médio de dependência é de 2,77 anos e apresentam elevado grau de dependência. 46,8% da amostra encontra-se vulnerável ao stress. Existe influência das habilitações literárias, da situação profissional, do número de elementos do agregado familiar, o grau de dependência da pessoa alvo de cuidados; o número de horas despendidas no cuidar e da coabitação sobre a vulnerabilidade ao stress do cuidador informal. Conclusão: Cuidar de um familiar dependente não pode ser encarado como um problema individual mas sim de toda a sociedade em geral. Urge intervir de forma antecipada e eficaz no sentido de assegurar o bem-estar do cuidador e dos doentes que dele dependem. .PALAVRAS-CHAVE Cuidador informal; Pessoa dependente; Vulnerabilidade ao stress; Escala de Vulnerabilidade ao stress.
ABSTRACT Background: Caring for a dependent relative is a difficult task that requires time and energy. It is thus a responsibility that can have a huge emotional and physical, especially if added to the anguish of seeing a loved one lose their skills. Objectives: It is the purpose of this study was to analyze vulnerability to stress the caregiver is influenced by the characteristics of the caregiver and / or care of the person targeted. Method: A quantitative, cross-sectional descriptive correlational conducted on a sample of 139 informal caregivers of people with chronic and disabling dependent; admitted to medical services Hospital of Vila Franca de Xira. Data collection was conducted from July 1 to November 30, 2011. The evaluation protocol includes the Socio-Demographic Questionnaire to the target user and the caregiver care, the Katz Index and Scale vulnerability to stress (Vaz Serra, 2000). Results: Of the participants 25.2% were males and 74.8% females aged between 32 and 90 years of age. 81.3% of caregivers are married, have low literacy (74.1%) and are inactive (69.8%). Are essentially spouses / companions of the dependent person (48.9%) or children (as) (33.8%), 30.9% did not have any support in care, dispense an average 19.14 hours per day caring being his household consisting of only one element (66.4%) and most (87.1%) cohabits with the dependent person. The sample consists of dependents 55.4% of males and 44.6% females, with a mean age of 74.21 years. The average time dependence is 2.77 years and had a high degree of dependence. 46.8% of the sample is vulnerable to stress. Conclusion: Caring for a dependent can not be seen as an individual problem but the whole society. Urge to intervene early and effectively to ensure the well-being of caregivers and patients who depend on it. KEYWORDS Informal caregiver; dependent person; Vulnerability to stress; Scale Vulnerability to stress.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/1971
Aparece nas colecções:ESSV - UESPFC - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
FIGUEIREDO, Carla Gonçalves - Dissertação mestrado2.pdf1,81 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.