Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2494
Título: Especificidade do teste de provocação na Síndrome de Brugada: a queda de um mito
Autor: Santos, Luis
Faria, Rita
Correia, Emanuel
Rodrigues, Bruno
Moreira, Davide
Nunes, Luis
Costa, António
Carvalho, José
Machado, José
Castedo, sérgio
Henriques, Carla
Matos, Ana
Santos, Jorge
Palavras-chave: Síndrome de Brugada
Data: Fev-2010
Resumo: O rastreio de familiares de doentes com Síndrome de Brugada (SB) com ECG basal não diagnóstico deve incluir o teste de provocação farmacológica e se for induzido o padrão de repolarização do tipo 1 o diagnóstico é concluído sem mais corroboração. Este teste é realizado com o pressuposto de não existirem falsos positivos mas a verdadeira especificidade é desconhecida.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2494
Aparece nas colecções:ESTGV - DMAT - Documentos de congressos (comunicações, posters, actas)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Especificidade...mito_Lisboa2010.pdf21,33 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.