Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2555
Título: Infeção respiratória associada à ventilação mecânica : Medidas preventivas
Autor: Coelho, Natércia Durão
Orientador: Cunha, Madalena
Palavras-chave: Controle da infecção
Desmame do ventilador
Higiene oral
Infecções do aparelho respiratório
Pneumonia associada à ventilação mecânica
Posicionamento do doente
Respiração artificial
Sedação profunda
Unidades de cuidados intensivos
Deep sedation
Infection control
Intensive care units
Oral hygiene
Patient positioning
Pneumonia, ventilator-associated
Respiration, artificial
Ventilator weaning
Data de Defesa: 6-Mar-2014
Resumo: Estudos, nacionais e internacionais, definem as Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) como os ser-viços de maior risco para os doentes desenvolverem a infeção associada aos cuidados de saúde (IACS), estando associadas a taxas de morbilidade e mortalidade significativas. A infeção respiratória associada à ventilação (IRAV) é uma das IACS mais comum que pode afetar o doente crítico em con-texto de cuidados intensivos, pelo que se torna prioritário desenvolver estratégias que reduzam a expo-sição a fatores de risco que predispõe o doente para este tipo de infeção. A aplicação de medidas pre-ventivas como um conjunto (“Bundle”) em vez da aplicação das mesmas medidas de forma isolada, é mais efetiva e com melhores resultados na prevenção da IRAV. Objetivos Determinar o efeito da aplicação de um conjunto de medidas preventivas (“Bundle”) da IRAV na incidência desta infeção numa UCI. Comparar a incidência da IRAV, o tempo de ventilação mecânica, o desmame ventilatório, o tempo de administração de medicação sedativa, o desmame de sedação e a frequência de aplicação das medidas preventivas da IRAV nos períodos pré e pós aplicação da “Bun-dle”. Metodologia Estudo não experimental, retrospectivo, descritivo-comparativo, analítico e correlacional. A investiga-ção enquadra um período de 18 meses, os últimos semestres dos anos 2010, 2011 e 2012. Envolve 162 doentes críticos adultos de ambos os géneros admitidos na Unidade de Cuidados Intensivos Polivalen-te (UCIP) do Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV), com três ou mais dias de internamento, sub-metidos a pelo menos 48 horas ventilação mecânica. Analisa dados demográficos, clínicos, farmaco-lógicos e não farmacológicos de prevenção de IRAV no período anterior à aplicação da “Bundle” (último semestre de 2010 e 2011) e no período posterior à implementação deste conjunto de medidas (último semestre de 2012). Em ambos os períodos foram colhidos dados em três momentos do inter-namento (admissão, dia intermédio e alta). Resultados Dos 162 doentes, 18 desenvolveram IRAV (11,1%), correspondendo a uma densidade de incidência de infeção 9,8/1000 dias de ventilação. O ano da implementação da “Bundle“ corresponde ao período com menor incidência de IRAV, afetando 7,01% dos doentes (densidade de infeção 10,1/1000 dias de ventilação), relativamente ao período pré-aplicação da “Bundle. Não se obtiveram diferenças estatísti-cas ao analisar o efeito da aplicação ou não da “Bundle” na incidência da IRAV (teste Qui-Quadrado=1,484; p=0,476). Com a implementação da “Bundle” o tempo de exposição ao TET e à ventilação mecânica diminuiu, correspondendo a taxas de exposição ao ventilador de 0,69. Globalmente, os doentes com IRAV são os que estiveram mais tempo expostos ao TET e ao ventilador. As diferenças encontradas são signifi- cativas nas variáveis tempo (em dias) até à primeira prova TT (U=473.5; p=0.010) e número de dias até extubação (U=216.5; p=0.006). Na amostra global, o tempo do desmame de sedação teve efeito na incidência da IRAV. O tempo (em dias) em que os doentes estiveram sob o efeito de medicação sedativa teve influência na incidência desta infeção somente no período pré “Bundle”, 2010 (p=0,015) e 2011 (p=0,001). A aplicação das medidas preventivas da IRAV foi superior no ano 2012, quer isoladamente, quer como um conjunto. A aplicação isolada destas medidas não teve efeito na incidência da IRAV; a apli-cação da “Bundle” teve efeito na incidência desta infeção na análise da amostra global, com diferen-ças estatísticas significativas para o dia intermédio do internamento (p=0,006), ou seja neste período os doentes com valores médios da aplicação da “Bundle” mais elevados, são aqueles que não desen-volveram IRAV. Conclusão Este estudo demonstra que o tempo (em dias) até à primeira prova de Tubo em T (TT), o número de dias até à extubação; o tempo de desmame de sedação e a aplicação do conjunto das medidas preven-tivas da IRAV no dia intermédio do internamento na UCIP tiveram influência na incidência desta infeção. Palavras-chave: Pneumonia associada à ventilação, infeção respiratória, prevenção, “Bundle”.
Abstract The Intensive Care Units (ICU) are defined as higher-risk units for patients developing healthcare-associated infection (HAI), and are associated with significant morbidity and mortality. The ventilator-associated respiratory infection (VARI) is one of the most common HAIs that can affect the critical patient in the context of intensive care, which makes it a priority to develop strategies to reduce expo-sure to risk factors for this type of infection. The application of preventive measures as a whole ("Bundle ") instead of applying the same measures isolated, is more effective and with better results in preventing VARI. Objectives Determine the effect of a set of preventive measures of VARI in the incidence of infection in ICU. Compare the incidence of VARI, the duration of mechanical ventilation, the weaning from ventilation, the time of administration of sedative medication, the weaning of sedation and the frequency of appli-cation of the preventive measures of VARI pre and post implementation of the "Bundle". Methodology Non-experimental, retrospective, descriptive, comparative, analytical and correlational study. The re-search falls within a period of 18 months, the last six months of the years 2010, 2011 and 2012. In-volving 162 critically ill adults patients of both genders, admitted in a medical-surgical ICU of Centro Hospitalar Tondela –Viseu ( CHTV ) with three or more days of length of stay, undergoing at least 48 hours of mechanical ventilation. Analyzes demographic, clinical, pharmacological and non-pharmacological data preceding implementation of the VARI prevention "Bundle" (last half of 2010 and 2011) and after its implementation (last half of 2012) time period. In both periods data were col-lected at three moments at ICU length of stay (first 24 hours, intermediate day and last 24 hours). Results From the 162 patients, 18 developed VARI (11.1%), corresponding to a VARI rate of 9.8 / 1000 venti-lator days. The year of the implementation of the "Bundle" corresponds to the period with lower inci-dence of VARI, affecting 7.01 % of patients (VARI rate of 10.1/1000 ventilator days). No statistical differences were obtained when analyzing the effect of the “Bundle" in the incidence of VARI (Chi-square test =1,484; =p 0.476). With the implementation of the “bundle " the exposure time of TET and ventilator decreased, corre-sponding to ventilator exposure rates of 0.69. Overall, patients with VARI are those who have been longer exposed to TET and the mechanical ventilation. Differences are significant in time (days ) to the first spontaneous breathing test (U = 473.5 , p = 0.010 ) and number of days until extubation (U = 216.5 , p = 0.006) . In the overall sample, the time of sedation weaning took effect on the incidence of VARI. The time (in days) in which patients were under the influence of sedative medication influenced the incidence of this infection only in the pre "Bundle" period, 2010 (p = 0.015) and 2011 (p = 0.001). The application of VARI preventive measures was higher in 2012, either alone or as a set. The sole application of these measures had no effect on the incidence of VARI. The application of the "bundle" had effect on the incidence of this infection, statistically significant differences were found for the in-termediate day in ICU (p = 0.006), meaning that in this moment patients with highest average values of the application of the “Bundle”, are those who did not develop VARI. Conclusion This study shows that the time (in days) to the first spontaneous breathing trial, the number of days un-til extubation, the time of weaning of sedation and the application of the Bundle in the intermediate day in ICU influenced the incidence of VARI. Keywords: ventilator-associated pneumonia, respiratory infection, prevention, bundle.
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2555
Designação: Mestrado em Enfermagem Médico-cirúrgica
Aparece nas colecções:ESSV - UEMC - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
COELHO, Natercia Durao - DissertMestrado.pdfDocumento principal2,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.