Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2558
Título: Motivação para o aleitamento materno
Autor: Pinto, Edite Rocha Carvalho
Orientador: Chaves, Cláudia Margarida Correia Balula
Palavras-chave: Aleitamento materno
Apego a objectos
Comportamento materno
Idade materna
Motivação
Pai
Papel
Papel do profissional
Relação mãe-criança
Breast feeding
Fathers
Maternal age
Maternal behavior
Mother-child relations
Motivation
Object attachment
Professional role
Role
Data de Defesa: 22-Jun-2014
Resumo: Enquadramento: Vários estudos da UNICEF, OMS e outros Órgãos protetores da criança têm concluído que a amamentação é considerada uma estratégia importante para a sobrevivência infantil. Já em 1979 se recomendava aleitamento materno exclusivo para um intervalo mínimo ate aos 4-6 meses e em 2001, a UNICEF associada ao Ministério da Saúde recomendaram a sua duração exclusiva até aos 6 meses e complementada até aos 2 anos (Silva & Souza, 2005). A proteção concedida pelo leite materno contra as várias infecções infantis originou uma redução da mortalidade infantil como é demonstrado em vários estudos, sendo assim toda a cooperação é relevante para a identificação dos agentes que interferem no desmame precoce. E neste seguimento, a motivação para a amamentação deve ser considerada uma variável importante, dado que a motivação é o agente propulsor de toda a nossa ação. Objetivos: Identificar se a história da gravidez, a experiência da amamentação, a história do aleitamento e a motivação para amamentar influenciam o risco de maternidade; Analisar de que forma a história da gravidez, a experiência da amamentação, a história do aleitamento e a motivação para amamentar influenciam a motivação para o aleitamento materno; Averiguar se o afeto materno condicionam a motivação para o aleitamento materno. Métodos: Estudo de natureza quantitativa, transversal, de carácter descritivocorrelacional e explicativo, sendo a amostra não probabilística por conveniência (N=235 mulheres). A recolha de dados efectuou-se através de um questionário, que se divide em duas partes. Da primeira faz a caracterização sociodemográfica, história da gravidez e do aleitamento materno e motivação para a amamentação. A segunda inclui o inventário de afecto materno (Mary & Muller, 1994, versão adaptada de Garcia Galvão, 2000). Resultados: O maior risco na maternidade está associado às mulheres com idades superiores a 35 anos, à coabitação com marido e outros filhos e à escolaridade baixa. O maior risco na maternidade está associado ao elevado número de gestações e maior número de partos anteriores e ao parto por cesareana. A maioria das mulheres tem experiência de amamentação e indicam como motivos de insatisfação com experiência de amamentação as dores/gretas nos mamilos e a dificuldade na pega. As mulheres que tiveram contacto com o bébé na 1ª hora após o nascimento não revelaram risco na maternidade e já tiveram partos anteriores. As mulheres revelam um afeto materno positivo. As mães com mais baixa escolaridade (<3º CEB) revelam menor afeto materno. Existe maior afeto nas mulheres que recorreram às consultas com grupo de apoio à amamentação. Conclusão: As mulheres estão motivadas para a amamentação e revelam níveis de afeto materno positivos. Palavra-Chave: Motivação; Aleitamento Materno; Afeto Materno.
ABSTRACT Background: Several studies of UNICEF, OMS and other protecting Organs of the child have been concluding that the breast-feeding is considered an important strategy for the infantile survival. Already in 1979 if it recommended exclusive maternal breast feeding for a minimum interval ties to the 4-6 months and in 2001, UNICEF associated to Ministry of Health recommended his/her exclusive duration to the 6 months and complemented to the 2 years (Silva, Souza, 2005). the protection granted by the maternal milk against the several infantile infections originated a reduction of the infant mortality as it is demonstrated in several studies, being like this all the cooperation is relevant for the agents' identification that you/they interfere in it weans him/it precocious. And in this continuation, the motivation for the breast-feeding an important variable should be considered, given that the motivation is the agent propeller of all our action. Objective: To identify the history of the pregnancy, the experience of the breast-feeding, the history of the breast feeding and the motivation to breastfeed influences the risk of maternity; To analyze that it forms the history of the pregnancy, the experience of the breast-feeding, the history of the breast feeding and the motivation to breastfeed influence the motivation for the maternal breast feeding; To discover the maternal affection conditions the motivation for the maternal breast feeding. Methods: Study of nature quantitative, traverse, descriptive-correlacional and explanatory, being the sample no probabilística for convenience (N=235 women). it collects if through a questionnaire, that becomes separated in two parts. Of the first it makes the characterization sociodemográfics, history of the pregnancy and of the maternal breast feeding and motivation for the breastfeeding. Monday includes the inventory of maternal afecto (Mary & Muller, 1994, adapted version of Garcia Galvão, 2000). Results: The largest risk in the maternity is associated the women with superior ages to 35 years, to the cohabitation with husband and other children and to the low education. The largest risk in the maternity is associated to the high number of gestations and number of previous childbirths, to the childbirth for cesareana. Most of the women has breast-feeding experience and they indicate as reasons of dissatisfaction with breast-feeding experience the dores/gretas in the nipples and the difficulty in the it diffuses. The women that had contact with the bébé in 1st o'clock after the birth didn't reveal risk in the maternity and they already had previous childbirths. The women reveal a positive maternal affection. The mothers with lower education (<3rd CEB) they reveal less maternal affection. More affection exists in the women that fell back upon the consultations with support group to the breast-feeding. Conclusion: The women are motivated for the breast-feeding and they reveal positive levels of maternal affection. Keywords: Motivation; Maternal breast feeding; Affect Maternal.
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2558
Designação: Mestrado em Enfermagem de Saúde Comunitária
Aparece nas colecções:ESSV - UESPFC - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PINTO, Edite Rocha Carvalho - DissertMestrado.pdfDocumento principal935,63 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.