Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2561
Título: Expectativas da mulher portuguesa e da imigrante relativas aos profissionais e sistema nacional de saúde, durante a gravidez, parto e pós-parto
Autor: Rocha, Ana Maria Anjos
Orientador: Coutinho, Emília Carvalho
Duarte, João Carvalho
Palavras-chave: Atitude perante a saúde
Emigrantes e imigrantes
Gravidez
Mulher
Mulher grávida
Parto
Pessoal de saúde
Portugal
Prestação de cuidados de saúde
Puerpério
Serviços de saúde materna
Attitude to health
Delivery of health care
Emigrants and immigrants
Health personnel
Labor, obstetric
Maternal health services
Postpartum period
Pregnancy
Pregnant women
Women
Data de Defesa: 28-Out-2014
Resumo: A maternidade representa desde sempre um fenómeno difícil de ultrapassar. Trata-se de um evento marcante, complicado de superar, mesmo quando a mulher se encontra inserida no seu meio, quer ambiental, quer familiar. As dificuldades agravam-se quando a mesma se encontra longe do seu país de origem, deslocada do seu núcleo familiar e sujeita a uma língua estrangeira, como é o caso da mulher imigrante. Muitas vezes, geram-se obstáculos difíceis de transpor, com especial destaque para a comunicação, frequentemente pelo desconhecimento da língua do país recetor. No caso desta se encontrar grávida pela primeira vez, a ansiedade e o medo agravam-se, dificultando a sua adaptação ao ‘papel de mãe’. Surgem expectativas em torno da nova realidade que é a maternidade, na esperança de que tudo corra bem e de acordo com o imaginado, tendo em conta o que espera receber do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e dos profissionais que dele fazem parte. Para satisfazer as necessidades da futura mãe portuguesa e imigrante, é preciso conhecer aquilo que a mesma considera como fulcral para si e respetiva família, no sentido de serem desenvolvidas estratégias de ajuda facilitadoras do seu processo de transição, já por si dificultado no caso das imigrantes. Com base no exposto, este estudo tem como objetivos: identificar as expectativas da mulher portuguesa e da imigrante relativas ao Serviço Nacional de Saúde e aos profissionais de saúde, durante a gravidez, parto e pós-parto; identificar as expectativas concretizadas e as não concretizadas; identificar ações facilitadoras do processo de transição. O estudo realizado é de natureza qualitativa, do tipo exploratório-descritivo, com recurso à entrevista semiestruturada e análise de conteúdo de Bardin, com categorização do verbatim de oitenta e duas entrevistas, de mulheres imigrantes e portuguesas, suportada pelo QSR e pelo NVivo 10. Da análise dos dados emergem duas grandes categorias que são: ‘Expectativas da mulher portuguesa e da imigrante relativas ao SNS, durante a gravidez, parto e pós-parto’ e ‘Expectativas da mulher portuguesa e da imigrante relativas aos profissionais de saúde, durante a gravidez, parto e pósparto’. Na generalidade, as mulheres imigrantes revelaram ter mais expectativas acerca do SNS e dos profissionais de saúde do que as portuguesas, sendo que, tanto para umas como para outras, as expectativas concretizadas foram superiores às não concretizadas no que toca aos profissionais de saúde. Em relação ao SNS, quer para as portuguesas quer para as imigrantes, as expectativas defraudadas superaram em número de unidades de registo as que foram satisfeitas. Contudo, tendo em conta o número de fontes, as mulheres imigrantes satisfeitas superaram as insatisfeitas, passando-se o inverso em relação às portuguesas. Globalmente, o grau de satisfação pelos aspetos positivos parece superar em número de participantes e em número de unidades de registo a não satisfação percecionada nos aspetos negativos. Contribuiu para estes resultados, em grande escala, a proficiência no cuidar, revelada pela classe profissional de Enfermagem, reforçando a importância do seu papel em momentos de crise como facilitadores dos processos de transição. Palavras-chave: maternidade, imigração, expectativas, satisfação, transição.
Abstract Motherhood has always been a significant landmark in the life of a woman, and this phenomenon has always been regarded as a difficult stage to go through. This is a landmark event, complicated to overcome, even when the woman is inserted in her surroundings, whether environmental or familiar. The difficulties evolve when she is away from her home country, displaced from her family and subject to a foreign language, as in the case of immigrant women. There often are difficult obstacles to overcome, mostly related to communication, frequently due to the lack of knowledge of the language of the target country. Anxiety and fear become a constant, aggravated in the case of a first pregnancy, complicating the process of adaptation to the 'mother role'. Expectations arise around this new reality that is motherhood, taking into account what she expects to get from the National Health Service (NHS) and from the professionals who are a part of it. To satisfy the needs of the future mother, whether Portuguese or immigrant, we must know what she considers as fundamental to herself and her family, in order to develop support strategies to aid the transition process, which is already naturally difficult in the immigrant situation. Based on the exposed, the following goals are outlined for this study: identify the expectations of the Portuguese and the immigrant woman, related to the National Health Service and the health professionals during pregnancy, childbirth and postpartum; identify accomplished and not-accomplished expectations; identify actions to aid the transition process. The present study is qualitative in nature, of the exploratory-descriptive type, with the use of semi-structured interviews and Bardin content analysis, with verbatim categorization of eighty-two interviews to Portuguese and immigrant women, supported by QSR and NVivo 10. From the data analysis, two major categories emerge: 'Portuguese and immigrant women’s expectations, concerning NHS, during pregnancy, childbirth and postpartum' and 'Portuguese and immigrant women’s expectations, concerning health professionals, during pregnancy, childbirth and postpartum'. In general, immigrant women have revealed higher expectations about the NHS and their health professionals than the Portuguese users, and in both cases, the achieved expectations were higher than the not-achieved in which concerns to health professionals. Concerning NHS, either for Portuguese or immigrant women, the defrauded expectations exceeded the achieved ones in number of reports. However, considering the number of sources, the number of satisfied immigrant women exceeded the unsatisfied ones, the opposite being true for Portuguese women. Globally, the degree of satisfaction with positive aspects seems to overcome the degree of dissatisfaction on negative aspects, taking into account the number of registration units and clients. The aforementioned results are supported by a large-scale excellence in care, revealed by class professional nursing, reinforcing the importance of their role in times of crisis as enabler of transition processes. Keywords: motherhood, immigration, expectations, satisfaction, transition.
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2561
Designação: Mestrado em Saúde Materna, Obstetrícia e Ginecologia
Aparece nas colecções:ESSV - UEMOG - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ROCHA, Ana Maria Anjos - DissertMestrado EMBARGO 19 MAI 2015.pdfDocumento principal4,63 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.