Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2573
Título: Avaliação de projectos de investigação e desenvolvimento na área das telecomunicações
Autor: Fialho, Joana
Palavras-chave: Telecomunicações
Projetos
I&D
Data de Defesa: Jul-2013
Resumo: Uma correta avaliação de projetos de investigação e desenvolvimento (I&D) permite que as empresas possam selecionar e/ou priorizar os projetos que melhor satisfaçam os seus objetivos. Para além disso, muitas empresas deparam-se com limitações de recursos, especialmente os humanos. Uma ferramenta que ajude os gestores a encontrarem a melhor estratégia para alocar os recursos é muito importante para a conclusão dos projetos de forma eficiente e sem desperdícios. Este trabalho apresenta duas ferramentas que ajudam a avaliar projetos de I&D, tendo como base a estrutura e política de uma empresa específica: a PT Inovação. A avaliação deste tipo de projetos (e outros) depende, também, dessa estrutura e política, pois os pressupostos admitidos por umas empresas podem não o ser noutras. De acordo, então, com a empresa, construiu-se uma primeira abordagem de avaliação baseada em múltiplos critérios, dispostos numa estrutura hierárquica: abordagem hierárquica. Seguidamente, outra abordagem foi construída, tendo em conta apenas o critério financeiro e baseada na teoria das opções reais: abordagem estocástica. Note-se que a informação necessária para a utilização da abordagem hierárquica é mais fácil de obter do que a requerida pela abordagem estocástica. Os projetos de I&D da PT Inovação podem ser muito diferentes entre si e, em geral, são desagregados em ações, cuja estrutura e objetivos podem ser muito específicos. Devido a esta variedade, os projetos e ações são diferenciados por tipos. Esta diferenciação leva a que, na abordagem hierárquica, os critérios tenham diferentes pesos, mediante o tipo de projeto ou o tipo de ação que se está a considerar. O processo de avaliação desta abordagem baseia-se no AHP (analytic hierarchy process), sendo que algumas das suas limitações tiveram que ser ultrapassadas, nomeadamente a dificuldade em estabelecer algumas comparações, o grande número de comparações que podem ser requeridas pelo método, e o tratamento de critérios que utilizem valores financeiros. O resultado da abordagem hierárquica permite priorizar e/ou selecionar projetos ou ações. São ainda sugeridas formas de, perante o resultado dessa avaliação, afetar os recursos disponíveis pelas diferentes ações consideradas no processo de avaliação. A abordagem estocástica parte do pressuposto inicial que as ações são compostas por um conjunto de tarefas (parcelas) homogéneas. Essas tarefas são avaliadas, ao mesmo tempo que é definida a melhor estratégia para a sua execução: mediante os níveis de recursos disponíveis, são definidas regras que ajudam a decidir sobre o nível de recursos a utilizar em cada instante, de acordo com a maximização de um valor financeiro que caracteriza a tarefa. Considera-se que o tempo de execução de uma tarefa e os cash flows esperados têm comportamento estocástico. Os custos são fixos, por unidade de tempo e, tal como o tempo de execução, dependem do nível de recursos utilizado. O processo de avaliação baseia-se na teoria das opções reais e no processo de simulação least squares Monte Carlo (LSM), com algumas adaptações, já que se considera o tempo de execução estocástico, e não determinista.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2573
Aparece nas colecções:ESTGV - DMAT - Teses de doutoramento (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TeseDoutoramentoJoanaFialho.pdf2,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.