Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2620
Título: Esperança e Qualidade de Vida em Idosos
Autor: Martins, Rosa
Mestre, Marina
Palavras-chave: esperança
qualidade de vida
idosos
envelhecimento
institucionalização
hope
quality of life
elderly
aging
institutionalization
Data: 2014
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Citação: Martins, Rosa & Mestre, Marina (2014). Esperança e Qualidade de Vida em Idosos. Millenium, 47 (jun/dez). Pp. 153‐162.
Resumo: Resumo Enquadramento: Os baixos níveis de esperança encontrados nos idosos revelam estar associados a fraca motivação, falta de sentido para a vida, aumento de sintomatologia ansiolítica e, consequentemente, a baixos índices de qualidade de vida. Objetivos: Identificar níveis de esperança e de Qualidade de Vida em idosos, bem como fatores determinantes destes constructos. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo quantitativo, não experimental e descritivo-correlacional. Foi utilizada uma amostra não probabilística por conveniência, constituída por 100 idosos, residentes na região centro do país, divididos em dois grupos: institucionalizados (n=50) e idosos a residir na comunidade (n=50). A maioria dos idosos (69%) é do sexo feminino, com uma média de idades de 84 anos. Os dados foram colhidos através de um questionário constituído por um grupo de questões sociodemográficas, por uma Escala da Esperança (versão portuguesa de Pais Ribeiro, 2007), e por uma Grelha de Avaliação da Qualidade de Vida dos idosos da Direção Geral de Saúde (DGS, 2013). Resultados: Os dados evidenciam que 52% dos idosos apresentam níveis elevados de esperança, sendo esta superior em idosos institucionalizados (M= 52,12; Dp= 7,35). 52% percecionam também globalmente boa qualidade de vida, porém esta é superior nos idosos da comunidade (M= 30,38; Dp= 5,52). As variáveis com influência significativa nos níveis de esperança são o percecionar melhor estado de saúde, maior preocupação da família, possuir melhor qualidade de vida e maior número de filhos. Conclusão: As evidências revelam níveis diferenciados, mas essencialmente positivos na esperança e qualidade de vida dos idosos estando estas significativamente relacionadas com a saúde percecionada.
Abstract Background: Low levels of hope found in the elderly reveal to be associated with poor motivation, lack of meaning in life, increased anxiolytic symptoms and, consequently, low levels of quality of life. Objectives: Identify levels of hope and the Quality of Life of the elderly as well as influential factors in these constructs. Methods: This is a quantitative type study, non-experimental and descriptive-correlational. A non-probability convenience sample was used, consisting of 100 elderly residents in the country's central region divided into two groups: institutionalized (n = 50) and elderly residing in the community (n = 50. Most elderly (69%) are female, with an average age of 84 years. Data was collected through a questionnaire consisting of a group of socio-demographic questions, a scale of Hope (Portuguese version de Pais Ribeiro, 2007, and a Grid of Evaluation of Quality of Life of the Elderly by the Portuguese General Health Directorate (DGS, 2013). Results: The data shows that the elderly (52%) have high levels of hope, which are higher in institutionalized elderly subjects (M = 52.12; SD = 7.35). They globally perceive (52%) a good quality of life, but it is higher in elderly residing in the community (M = 30.38; SD = 5.52). Variables with significant influence on levels of hope are perceiving better health, greater family concern, having better quality of life and greater number of children. Conclusion: The evidence reveals different levels, but essentially positive hope and quality of life of these elderly, with these being significantly related to perceived health.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2620
Versão do Editor: http://www.ipv.pt/millenium/Millenium47/13.pdf
Aparece nas colecções:RE - Número 47 - dezembro de 2014

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
13.pdf138,77 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.