Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2674
Título: Genetic heritage as a risk factor enabling chilhood obesity
Autor: Cunha, Madalena
Aparício, Graça
Duarte, João
Pereira, Anabela
Albuquerque, Carlos
Oliveira, António
Palavras-chave: weight status
overweight children
overweight mothers
metabolic risk
Data: 2013
Editora: Elsevier
Citação: Cunha, M., Aparício, G., Duarte, J., Pereira, A., Albuquerque, C., & Oliveira, A. (2013). Genetic heritage as a risk factor enabling childhood obesity. Atención Primaria, 45, 201-207. doi 10.1016/S0212-6567(13)70023-4
Resumo: Introdução: É hoje uma evidência que a obesidade materna, constitui importante preditor da obesidade na prole, não sendo consensual se essa influência advém da interacção entre genes e contexto familiar facilitadores ou de ambos. Objectivos: (i)determinar a prevalência do excesso de peso da criança (ii)classificar o estado nutricional e risco metabólico das progenitoras (iii) analisar o efeito dos marcadores de risco metabólico familiar na expressão da doença na criança. Material e Métodos: Estudo descritivo com 1424 crianças, média de idade 4.58 anos e respectivas mães, média de idades 34,47 anos, residentes em Portugal. Avaliadas e classificadas as medidas antropométricas das crianças pelo referencial NCHS (CDC, 2000)(1) e das progenitoras pelas orientações da OMS (2000)(2) e Portugal, DGS (2005)(3). Obtidos dados sociodemográficos por preenchimento do Questionário de Frequência Alimentar adaptado de Rito (2007)(4). Resultados: O excesso de peso afectava 34.3% das crianças, (incluindo 17.4% obesidade), sendo este mais elevado nos meninos (36.8%) e nas crianças de 5 anos (39.5%) Em 41,9% das progenitoras verificou-se excesso de peso (12,1% obesidade),sendo mais elevado nas mães com baixa instrução, baixo rendimento, nas mais velhas e nas que residiam na zona rural. A probabilidade da criança ter excesso de peso foi 1,4 vezes superior nas mães com excesso de peso e próxima de 2 vezes na relação mãe/filha. Revelaram-se ainda fatores facilitadores, o ganho ponderal durante a gravidez acima do recomendado e o peso ao nascer mais elevado. Conclusions: Face às inferências obtidas, aceita-se existir efeito facilitador dos marcadores maternos e infantis no desenvolvimento de excesso de peso da criança, pelo que a prevenção da obesidade infantil deverá considerar não só a dimensão ambiental mas igualmente a herança genética.
Abstract: Introduction: Nowadays, it is an evidence that maternal obesity is an important predictor of obesity in the descendants, not being consensual if that influence comes from the interaction between genes and facilitators family contexts or both. Objectives: 1) To determinate the prevalence of the child overweight; 2) to classify the nutritional status and metabolic risk of the progenitors; 3) to analyze the effect of the markers of the family metabolic risk in the expression of the illness in the child. Material and methods: Descriptive study composed by 1424 children, average age 4.58 years old and their mothers, average age 34.47 years old, living in several parts of Portugal. The children’s anthropometric measures were evaluated and classified according to the NCHS referential (CDC, 2000)1 and of the progenitors by the orientations of the WHO (2000)2 and Portugal, DGS (2005).3 Social demographic data was obtained by filling in the Food Frequency Questionnaire adapted from Rito (2007).4 Results: The overweight affected 34.3% of the children, (including 17.4% obesity), being the higher values on boys (36.8%) and in 5 year old children (39.5). In 41.9% of the progenitors overweight was noted (12.1% obesity), being higher in mothers with low scholarship, low income, older and living in a rural area. The probability of the child to be overweighted was 1.4 times higher when mothers were overweight, and close to 2 times in the relationship mother/ daughter. Others enabling factors were revealed, like weight gain above recommended during pregnancy and a higher weight at birth. Conclusions: Due to the obtained interferences, it is accepted the existence of enabling factors of maternal and child markers in the development of overweight in the child, so that the prevention of child obesity should consider not only the environmental dimension but also the genetic heritage.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2674
DOI: 10.1016/S0212-6567(13)70023-4
Versão do Editor: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0212656713700234
Aparece nas colecções:ESSV - UEMC - Artigos publicados em revista científica (Indexados à ISI)



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.