Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/2695
Título: A Importância da Tradição Oral em Man Made of Words, de Scott Momaday, ou a Palavra como Epifania
Autor: Lopes, Ana Maria Costa Pereira
Ferreira, Zaida Maria Pinto
Palavras-chave: Homem
a palavra como epifania
subjectividade nativo- americana
identidade
tradição oral
Man
the word as epiphany
Native-American subjectivity
identity
oral tradition
Data: Nov-2014
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Citação: Lopes, Ana Maria Costa Pereira & Ferreira, Zaida Maria Pinto (2014). A Importância da Tradição Oral em Man Made of Words, de Scott Momaday, ou a Palavra como Epifania Millenium, 46-A. Número Especial temático sobre Literatura. (novembro 2014). Pp. 67-79
Resumo: Para o sujeito euro-americano, o Mundo é feito de pares binários dicotómicos (começando, desde logo, com a oposição binária entre o Bem e o Mal), sendo que é a própria Linguagem que antecipa essas dicotomias, desencadeadas, desde logo, pela distinção, a cisão, entre significante e significado. Para o sujeito nativo-americano, por outro lado, o Mundo é feito de dialéticas, de intercessões e interdependência entre diferentes elementos que, estando todos imbuídos de sacralidade, se conjugam harmoniosamante, dando origem a um universo uno, holístico. É à luz destes pressupostos que deve entender-se a obra The Man Made of Words, de Scott Momaday. Na coletânea em apreço, a palavra é entendida como a génese, o sopro espiritual que funde significante e significado, a qual, transmitida de geração em geração, graças à preservação de uma tradição oral, dá vida a uma mundividência que permite ao sujeito ultrapassar ruturas e fragmentações, identificando-se com a Cultura e tradições do seu povo.
Abstract For the Euro-American subject, the world is made up of dichotomous binary pairs (starting out with the binary opposition between Good and Evil), and it is language itself which anticipates these dichotomies, at once brought about by the distinction, the split between signifier and signified. For the Native American subject, on the other hand, the Earth relies on a dialectics, an intersectedness and interdependence between different elements, all of which are imbued with sacredness, harmoniously combining, giving rise to a unified, holistic universe. It is in the light of the aforementioned assumptions that the work The Man Made of Words, by Scott Momaday ought to be understood/viewed. In the collection at issue, the word is understood as the genesis, the spiritual breath which enables signifier and signified to merge. Thenceforward, it is handed over from generation to generation, thanks to the preservation of an oral tradition which gives birth to a worldview that allows the individual to overcome disruptions and fragmentations, and identify with the Culture and traditions of his people.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/2695
Versão do Editor: http://www.ipv.pt/millenium/Millenium46a/6.pdf
Aparece nas colecções:RE - Número 46-A - novembro de 2014

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
6.pdf582,58 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.