Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/390
Título: A vanguarda e a dialéctica: uma nota sobre a Nouvelle Vague
Autor: Cardoso, Luís Miguel
Palavras-chave: Dialéctica
Nouvelle Vague
Romance
Data: Mai-2007
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Relatório da Série N.º: 33;
Resumo: Na Europa do pós-guerra, depois da experiência neo-realista, surge uma corrente, aparentemente (des)organizada, que possuía pontos de contacto com a cinematografia italiana, e que incluía como figura emblemática Alain Robbe-Grillet. Este movimento viria a reestruturar a concepção do romance e do cinema. Segundo Roland Barthes, não existe propriamente uma escola ou corrente que reunisse o já citado Alain Robbe-Grillet, Nathalie Sarraute e Michel Butor, entre outros, e que propusera o conceito de Nouveau Roman, dado que as dissemelhanças são também uma marca do «grupo», unido, contudo, por linhas de pensamento comuns. Na caminhada que afastava o romance das formulações tradicionais do enredo, surgia, como nos diz Aguiar e Silva , o Nouveau Roman, designação criada por jornalistas, que identificava uma tipologia que aparecera após 1950, possuindo como principal ideal o afastamento dos vectores tradicionais na concepção do romance e uma aproximação a Joyce, Woolf, Faulkner e Dos Passos.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/390
Aparece nas colecções:RE - Número 33 - Maio de 2007

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A_vanguarda_e_a_dialectica.pdf213,61 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.