Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/395
Título: A arte dramática na literatura portuguesa
Autor: Carriço, Lilaz dos Santos
Palavras-chave: Literatura Portuguesa
Data: Mai-2007
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Relatório da Série N.º: 33;
Resumo: A morigeração dos costumes fez surgir na Grécia um pensador, Esopo, o qual, em textos breves, enunciava lições que, tendo como personagens, em geral, animais ou seres inanimados, objectivaram o comportamento negativo do homem, servindo de exemplo e concretizando, assim, a sua correcção. As fábulas podem, pois, considerar-se modelares para a moralização nesses tempos remotos. Entre os Romanos, Fedro aproveita a mensagem didáctica de Esopo e, como eles, ao longo dos séculos, proliferaram escritores que em tais textos encontram sugestão para concretizar a doutrina moral. Neste conjunto, na Idade Média, refira-se o Livro de Esopo ou Esopete cujos textos formados de uma parte narrativa e da conclusão moral, o epímitio, devem ter proveniência latina. Tal como Fedro, também, na Idade Média, se procura moralizar com uma produção literária animalista “Boosco deleytoso”, “horto do Esposo”, animizando os próprios animais para conseguir tal objectivo.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/395
ISSN: 1647-662X
Aparece nas colecções:RE - Número 33 - Maio de 2007

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A_arte_dramatica_na_literatura.pdf339,61 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.