Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/426
Título: Percepção dos adolescentes sobre interacções parentais
Autor: André, Suzana Maria
Silva, Ernestina Maria
Palavras-chave: Adolescência
Interacções parentais
Data: Mai-2005
Editora: Instituto Politécnico de Viseu
Relatório da Série N.º: 31;
Resumo: São os adolescentes e jovens o objecto do nosso trabalho e eles têm constituído ao longo dos anos o centro do nosso interesse. A adolescência é uma fase de desenvolvimento que representa um período de transição entre as vinculações da infância, estabelecidas fundamentalmente no contexto da relação pais-filho, e as ligações afectivas adultas que extravasam as relações familiares (Soares, 1992). É por isso que o adolescente, não sendo já criança, se surpreende a si próprio e aos que lhe estão mais próximos ao manifestar afectos, atitudes e comportamentos da criança que já não é, ao mesmo tempo que se revela capaz de executar actividades do adulto que ainda não é. Segundo a perspectiva psicanalítica, algumas das características fundamentais da adolescência traduzem-se, por um lado, na reactivação do narcisismo e dos conflitos típicos do Complexo de Édipo e por outro, na necessidade de o jovem construir a sua individualidade, passando a percepcionar os pais como entidades diferentes dos idealizados no decorrer da infância. Assim, o adolescente procura o apoio parental, mas simultaneamente procura libertar-se da vigilância parental, isto é, vive uma nova dinâmica relacional entre as necessidades de vinculação e de exploração ou autonomia, cujo processo é muitas vezes vivido pelos pais e pelos filhos, de uma forma ambivalente. Os pais, por um lado, desejam a independência dos seus filhos e que estes tomem as suas decisões; por outro lado, temem as consequências dessa independência. Os filhos, por sua vez, desejam afastar-se dos pais, criando um espaço de privacidade, mas de um modo ambivalente, pois temem a autonomia concedida e o fascínio da liberdade. E é neste contexto da relação pais-filhos que surge o interesse por este estudo. O nosso objectivo foi precisamente identificar a percepção dos adolescentes/jovens sobre as interacções parentais no sentido de reflectirmos sobre a sua expressão de autonomia ou individualidade ou expressão de ligação. Para atingir este nosso objectivo tivemos necessidade de construir uma escala para o efeito.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/426
ISSN: 1647-662X
Aparece nas colecções:RE - Número 31 - Maio de 2005
ESSV - UESPFC - Artigos publicados em revista científica
ESSV - UECA - Artigos publicados em revista científica

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Percepção dos adolescentes.pdf170,12 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.