Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/5101
Registo completo
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorPinto, António Pedro Martins Soares-
dc.contributor.advisorHenriques, Carla Manuela Ribeiro-
dc.contributor.authorRodrigues, José Manuel Poças-
dc.date.accessioned2018-10-08T08:05:29Z-
dc.date.available2018-10-08T08:05:29Z-
dc.date.issued2018-09-13-
dc.date.submitted2018-06-29-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.19/5101-
dc.description.abstractAo longo da literatura o estudo do governo empresarial nas decisões financeiras tem vindo a ganhar relevância, em particular, na estrutura de endividamento, não existindo um consenso sobre quais e o modo como as suas características influenciam tais decisões. Neste estudo o endividamento encontrase dividido em três formas distintas, o endividamento a curto, a médio e longo prazo e o total. Pretende-se aferir se a estrutura do endividamento é condicionada pela natureza da propriedade, existindo uma distinção/comparação entre empresas familiares e não familiares. A amostra em estudo é composta por Pequenas e Médias empresas portuguesas (PME) inseridas no sector C (Industrias Transformadoras). Constatou-se que as empresas familiares têm maiores níveis de endividamento e que estas se distinguem das não familiares pelo impacto que os determinantes do governo têm na maturidade da divida. Conclui-se também que o número de gestores, o número de bancos, a rendibilidade e a dimensão contribuem para a estrutura de capital das empresas familiares e não familiares. Por outro lado a concentração da propriedade e a propriedade interna, apesar de influenciarem a estrutura de capital, são distintas dependendo da natureza da propriedade.pt_PT
dc.description.abstractABSTRACT: Throughout the literature, the study of corporate governance in financial decisions has gained relevance, in particular, in the structure of indebtedness, and there is no consensus on what and how its characteristics influence such decisions. In this study, indebtedness is divided into three distinct forms: short, medium and long term indebtedness and total indebtedness. It is intended to assess whether the structure of indebtedness is conditioned by the nature of the property, and there is a distinction / comparison between family and non-family businesses. The sample under study is made up of Portuguese Small and Medium Enterprises (SMEs) inserted in sector C (Transforming Industries). It was verified that the family companies have higher indebtedness levels and that these are distinguished from the unfamiliar ones by the impact that the determinants of the government have in the maturity of the debt. It is also concluded that the number of managers, number of banks, profitability and size contribute to the capital structure of family and non-family businesses. On the other side, the concentration of property and internal property, although influencing the capital structure, are distinct depending on the nature of the property.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.subjectGoverno empresarialpt_PT
dc.subjectEstrutura da dividapt_PT
dc.subjectEndividamentopt_PT
dc.titleO Governo e a estrutura de endividamento: O caso das PME´s portuguesaspt_PT
dc.typemasterThesispt_PT
thesis.degree.nameFinanças Empresariaispt_PT
dc.identifier.tid201980207pt_PT
dc.subject.fosDomínio/Área Científica::Ciências Sociais::Economia e Gestãopt_PT
Aparece nas colecções:ESTGV - DG - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
jose_poças_rodrigues_disssertação.pdf1,27 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.