Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.19/5351
Título: Musicoterapia e competências de comunicação na síndrome de Dravet : uma investigação-ação
Autor: Pinto, Ana Filipa de melo
Orientador: Martins, Emília
Mendes, Francisco
Palavras-chave: Musicoterapia
Síndrome de Dravet
Music Therapy
Dravet Syndrome
Data de Defesa: 17-Out-2018
Resumo: Este estudo pretende explorar a importância da Musicoterapia no âmbito das competências de comunicação e de prazer e bem-estar de uma jovem com Síndrome de Dravet. Procurou-se perceber a sua relevância como meio facilitador visto que não existem estudos que façam relação entre a Musicoterapia e esta síndrome. Posto isto, a metodologia de investigação foi de natureza quantitativa, recorrendo ao estudo de sujeito único, de carácter não experimental, de uma jovem de 22 anos, com diagnóstico de Síndrome de Dravet, a frequentar um Centro de Acolhimento Ocupacional (CAO) e sessões de Musicoterapia. Participaram no estudo, elementos da família (a mãe e o pai) e técnicos que a acompanham (musicoterapeuta e a ajudante de ação direta). Recorremos a duas técnicas de recolha de dados: questionários - Questionário de Capacidades e Dificuldades (Fleitlich, Loureiro, Fonseca, & Gaspar, 2014) – aplicado aos pais e técnicos; e uma grelha de observação (10 sessões de musicoterapia) - Grelha de Observação de Escala de LMA “Freedom to Move” (Dunphy & Scott, 2003) adaptada por Claro (2012). Os resultados permitem-nos concluir que, na perspetiva dos participantes, a Musicoterapia desempenha um papel importante como meio facilitador na promoção de capacidades da jovem com Síndrome de Dravet, sobretudo ao nível da comunicação. Evidenciam, também, cuidados a ter na iniciação da Musicoterapia nesta síndrome. Ainda assim, é fundamental continuar a acompanhar a evolução da jovem, visto tratar-se de mudanças eventuais decerto mais evidentes a longo prazo.
This study intends to explore the importance of Music Therapy in the scope of communication skills and pleasure and well-being of a young woman with Dravet Syndrome. It was sought to perceive its relevance as a facilitating medium since there are no studies that relate music therapy and this syndrome. Therefore, the research methodology was quantitative in nature, using a non-experimental single-subject study of a 22-year-old girl diagnosed with Dravet Syndrome, attending an Occupational Reception Center (CAO), and sessions of Music Therapy. Participants in the study included family members (mother and father) and accompanying technicians (music therapist and direct acting assistant). We used two techniques of data collection: questionnaires - Skills and Difficulties Questionnaire (Fleitlich, Loureiro, Fonseca, & Gaspar, 2014) - applied to parents and technicians; and an observation grid (10 music therapy sessions) - Freedom to Move LMA Scale (Dunphy & Scott, 2003) adapted by Claro (2012). The results allow us to conclude that, from the perspective of the participants, Music Therapy plays an important role as a facilitator in the capacity building of the young woman with Dravet Syndrome, especially at the communication level. They also show the care to be taken in initiating Music Therapy in this syndrome. Even so, it is fundamental to continue to monitor the evolution of the young woman, since these changes are certainly more evident in the long run.
URI: http://hdl.handle.net/10400.19/5351
Designação: Educação Especial, área de especialização em Domínio Cognitivo e Motor
Aparece nas colecções:ESEV - DPCE - Dissertações de mestrado (após aprovadas pelo júri)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Projeto_Ana_Pinto_Final.pdf1,99 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.